Nós vivemos em uma sociedade em que o consumo e a aquisição de produtos é algo comum e incentivado, mas existe um limite para isso?

compras_online2

É importante ressaltar que existe um prazer real em adquirir produtos que nos são necessários ou que representam para nós um sonho ou uma conquista especial, algo que nos esforçamos para alcançar. Mas o problema começa quando compramos coisas em excesso, simplesmente porque parecia uma boa ideia naquele momento.

As compras por impulso atingem 85% dos consumidores, segundo o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), essas compras são realizadas sem planejamento e, o pior, muitas vezes sem que a pessoa tenha consciência de sua situação financeira para arcar com aquele gasto.

O que nos leva a outro problema, as compras ligadas a respostas emocionais. Ainda segundo o SPC, 43% dos consumidores entrevistados relataram que realizam compras em momentos de Ansiedade, Tristeza ou Angústia.

A compra então se torna apenas uma válvula de escape e a pessoa passa a adquirir e acumular produtos de que ela simplesmente não faz uso, simplesmente para poder sentir o prazer momentâneo da compra, ocultando os problemas que realmente lhe incomodam.

O comprador compulsivo tem alguns comportamentos típicos, como: Deixar de pagar contas essenciais para comprar supérfluos; Esconder de outras pessoas o que comprou; Mentir sobre a quantidade de dinheiro que gastou; Precisar comprar quando se sente triste ou ansioso; Sentimento exagerado de euforia e ansiedade durante as compras; Sente-se culpado ou envergonhado após comprar; Precisa fazer “malabarismos” para pagar as dívidas causadas por gastos desnecessários; Acumulo de cartões de crédito e cheques sem necessidade.

Na sua forma mais grave a Compulsão por Compras é chamada de Oniomania, uma doença psicológica que atinge 3% da população. Ela se diferencia pelo fato da compulsão por comprar se tornar algo incontrolável. A pessoa sente necessidade em adquirir novos produtos e não conseguir realizar o ato é encarado como sofrimento. Isso acaba gerando angústia, frustração e agressividade.

A compulsão, principalmente na sua forma mais grave, causa diversos problemas para o indivíduo. Passam a ocorrer conflitos familiares e de relacionamento, afastando as pessoas que antes estavam a sua volta, problemas profissionais e financeiros, devido ao acúmulo de dívidas e a necessidade de adquirir mais itens sem necessidade e, por fim, podem ainda gerar problemas jurídicos e legais como consequência de dívidas que nunca conseguem ser pagas.

Infelizmente a maior parte das pessoas não vê esse tipo de comportamento como algo grave, buscando ajuda somente quando os problemas causados pela compulsão já atingiram grandes proporções e a situação é crítica, mas tratamento da Compulsão por Compras é realizado pelo Psicólogo através da psicoterapia. Dependendo da gravidade da situação, é necessário também o acompanhamento de um psiquiatra e a utilização de medicamentos como antidepressivos e ansiolíticos.

Tem alguma dúvida em relação ao tema? Entre em contato logo abaixo!