imagem-9

Muito se fala sobre a Geração Y, pessoas que nasceram entre o início da década de 80 e meados dos anos 90. Mas agora, vão começar a falar muito da Geração Z, que é composta pelos nascidos nos meados dos anos 90 até o ano de 2010. Não existe uma definição exata dessas datas. Alguns autores inclusive até discordam delas.

Mas enfim, vamos ao que interessa. As Gerações Y e Z sempre estão em pauta por serem as gerações que nasceram na era digital e da internet. Esses jovens são amplamente criticados por perderem rapidamente o interesse em qualquer atividade, por serem conhecidos profissionalmente como confusos e mimados e pela quantidade de informações e estímulos que os bombardeiam a todo o momento.

É um fato que essas duas gerações se depararam com um mundo que muda muito rápido e com uma oferta de oportunidades e cursos centenas de vezes acima da geração dos seus pais. E, claro, por isso a Orientação Profissional (Erroneamente chamada às vezes de Orientação Vocacional) é tão importante.

Para as pessoas mais velhas pode parecer uma escolha simples optar pelo o que fazer, mas é uma dúvida cruel que incomoda muitas pessoas a frase tão conhecida: “O que você vai ser quando crescer?”.

Antigamente, o ensino superior ou mesmo o técnico era um luxo reservado a poucos e era dividido entre aqueles que podiam pagar e aqueles que conseguiam entrar em um curso público.

E existia ainda outro fator, o número de cursos ofertados, que era infinitamente menor e deixava os jovens bem menos confusos, tudo era dividido entre Exatas, Biológicas e Humanas. Já hoje, existem cursos que abrangem aspectos de todas essas áreas juntas.

Além da velha historia dos filhos levando adiante a carreira dos pais, fazendo o que os pais e os avós fizeram. Ou então, dando continuidade a tradições profissionais que perduraram durante anos em suas famílias e que hoje em dia as atuais gerações finalmente tem a oportunidade de fugir, devido ao aumento nas formas de ingresso a universidades e cursos técnicos.

Hoje em dia no Brasil existem por volta de 35 opções diferentes de especialidades da engenharia. E esse número tende a aumentar já que existem por volta de 100 especialidades bem definidas dentro do campo da engenharia.

O mesmo ocorre com a saúde, com a área de humanas e ainda contamos com o crescimento vertiginoso de área como Comunicação Social e suas diversas ramificações que surgem todos os anos e com a área da Computação e Informática.

Eu sou da Geração Y e um dia estive do outro lado. Assim que terminei o Ensino Médio, não tinha ideia do que fazer da minha vida. Foi aí que alguém me disse: “Mas Michel, você gosta de computadores. Faça Ciência da Computação”. Eu realmente gostava e ainda gosto de computadores e tecnologia, mas também tinha sérios problemas com matemática e física. Porém, como não tive nenhum acompanhamento nesse sentido, apenas entrei no curso. Essa aventura durou 3 meses e muita dor de cabeça, além de bastante tempo e dinheiro perdidos.

Saí do curso de Ciência da Computação mais confuso do que entrei e entrei em um cursinho pré-vestibular. Estava “decidido” a fazer jornalismo, publicidade, fotografia, ou na verdade, qualquer coisa que não tivesse matemática ou física.

Frente à minha confusão, minha mãe decidiu que eu deveria buscar a ajuda de um psicólogo e passar por um processo de Orientação Profissional, processo esse que me ajudou muito a organizar minhas ideias e entender o que eu realmente gosto de fazer.

O resultado foi que depois de algumas sessões eu saí daquele consultório realmente decidido. Eu iria fazer a mesma coisa que aquele homem sentado naquela cadeira fazia. Foi então que eu decidi que queria ser psicólogo.

Isso tudo aconteceu em 2005, mais de 10 anos atrás. Mas se eu tivesse passado por um trabalho de Orientação Profissional antes, o ano de 2005 poderia não ter sido perdido entre os gastos com uma faculdade e um cursinho pré-vestibular totalmente desnecessários. Gastos, aliás, bem mais elevados que qualquer processo de Orientação Profissional por aí, ou seja, poderia ter tido dinheiro e tempo poupados.

Mas as coisas se tornaram mais fáceis desde 2005? Não! Definitivamente não. Elas ficaram mais complicadas. O número de cursos ofertados aumenta a cada dia. Hoje você tem diversos cursos novos e completamente diferentes em áreas que há duas décadas mal eram reconhecidas.

Dez anos atrás não existiam cursos para você desenvolver jogos de videogames e celulares no Brasil, nem diversos cursos técnicos que existem hoje. Não existia o pré-sal e a indústria petrolífera do Brasil não estava tão em alta, assim como diversos outros mercados se tornaram fenômenos econômicos, enquanto indústrias tradicionais simplesmente desapareceram.

A questão é que é muito importante que as pessoas entendam que a Geração Y, assim como a Geração Z, tem um motivo para estarem tão confusos. Eles vivem em um mundo onde o que existe hoje, pode simplesmente não existir amanhã. O mercado de trabalho é muito mais dinâmico e muito menos estável. “Profissões do amanhã” surgem a todo o momento colocando sua escolha profissional a prova.

O que acontece na China hoje, por exemplo, afeta completamente a realidade do mercado aqui no Brasil. E essa realidade que tanto enriquece o mercado e aumenta de maneira gigantesca as possibilidades, também obriga que os jovens escolham muito rápido, sem ideias reais do que pode haver no futuro, sem muitos parâmetros e, muitas vezes, sem nenhum conhecimento prévio sobre aquilo que irão fazer para “o resto de suas vidas”.

É aí que entra a importância da Orientação Profissional, pois ela consiste em um processo de autoconhecimento para depois você conhecer as possibilidades que o cercam. É preciso que você se conheça para conseguir definir o que quer para você e para o seu mundo. Desta forma, os jovens ou mesmo os adultos que estão confusos com suas escolhas podem evitar perder ainda mais tempo e despender ainda mais investimentos financeiros e terão a possibilidade de focar nas suas reais potencialidades e tornar suas escolhas mais sólidas.

 

Se você tem alguma dúvida sobre a Orientação Profissional, entre em contato!